segunda-feira, 29 de julho de 2013

Chegada da família de Giovanni Malucelli ao Brasil


CHEGADA DA FAMÍLIA DE GIOVANNI MALUCELLI AO BRASIL.


"FAMÍLIA MALUCELLI "


Constituição de gerações a partir de 1743 até o nascimento de Giovanni Malucelli - 1825.

1ª Geração: Considerando a data de casamento de Marco e Maddalena, 30/04/1743.
- MARCO MALUCELLI e MADDALENA GNATA, casaram em FARA no dia 30/04/1743.
Tiveram um filho de nome LORENZO, nascido em FARA no dia 27/01/1749.

2ª Geração:
- LORENZO, casou-se com Maria Maddalena Zan, em FARA no dia 22/02/1781, faleceu em San Giorgio de Perlena, no dia 22/02/1815, exatamente no dia em que iria completar 34 anos de casado.
- LORENZO e MARIA MADDALENA, tiveram 4 filhos, a saber:
- MARCO ANTONIO, nasceu no dia 04/08/1785, e faleceu em 04/05/1837.
- VALENTINO, nasceu no dia 17/02/1792, e faleceu no dia 04/07/1874.
- MADDALENA, nasceu no dia 25/08/1782.
- PAOLA, nasceu no dia 22/03/1783.

3ª Geração:
- MARCO ANTONIO, casou-se com Giustina Guidolin, no dia 28/02/1810, e tiveram 6 filhos, a saber:
- LORENZO, nasceu em no dia 19/03/1811.
- GIOVANNI BAPTISTA, nasceu no dia 22/07/1813, faleceu em 15/09/1815.
- MARIA MADDALENA, nasceu no dia 23/06/1816.
- MARIA, nasceu no dia 25/10/1819, e faleceu em 16/07/1820.
- MARIA THERESA, nasceu no dia 04/07/1822
- GIOVANNI, nasceu no dia 30/07/1825.

Pelo que se sabe, apenas os dois irmãos "LORENZO" e "GIOVANNI" sobreviveram, casaram e constituíram família.

Pesquisa: Jorge Luiz Malucelli - Jorginho.
__________________________

Morretes - Rio Nhundiaquara.
Morretes - Praça Lamenha Lins


Brasão da família Malucelli



CHEGADA DA FAMÍLIA DE GIOVANNI MALUCELLI AO BRASIL.

Por André Malucelli.


No ano de 1877, fugindo das dificuldades da Itália, Giovanni Malucelli e esposa Margherita, com 8 filhos, chegaram no Brasil através do Porto de Paranaguá, litoral paranaense. De Paranaguá se firmaram na cidade litorânea, não muito distante do porto, em Morretes, onde a família guarda suas raízes até hoje. É estimado que 3 mil dos mais ou menos 5 mil Malucelli (s) espalhados mundo afora, sejam descendentes de Giovanni e Margherita. De acordo com o documento "The Historical Research Center Family Name History - História do nome da família Malucelli", a palavra Malucelli é originada de um apelido e é na região norte da Itália, Comune de Dueville que realmente foi onde a família surgiu. 

De acordo com exaustiva pesquisa, a primeira pessoa a ter o sobrenome Malucelli foi Lorenzo Malucelli, inscrito no ano de 1495 no país italiano. Porém, no Brasil, foi com Giovanni Malucelli que a descendência da família Malucelli estabeleceu-se no Brasil. Filho de Marco Antonio Malucelli e Giustina Guidolin, Giovanni nasceu no dia 30 de julho de 1825 na província de Vicenza, cidade de Maróstica, Comuna de Dueville. Aos 25 anos casou-se pela primeira vez com Carolina Marchioretto e teve dois filhos, um casal, que acabou falecendo e um tempo depois também ficou viúvo vindo a casar-se então com Margherita Gobbo (filha de Gio Batta Gobbo e Lucia Galvan), também da província de Vicenza, nascida em 28 de novembro dfe 1834. 

Portanto, com outras famílias italianas, Giovanni - 52 anos, que trabalhava como agricultor na Itália, já com 8 filhos, ao lado de Margherita, 43 anos, decidiu-se pelo Brasil. O nome dos oito filhos e idade respectivas quando da chegada ao Porto de Paranaguá, confirmando, no dia primeiro de abril de 1877: Marco Antonio (17), Giustina (15), Baptista (13), Lúcia (11), Lorenzo (9), João (6), Antonio (3) e Domênico (1). 


Cidade de Alexandra - Paraná - Brasil
Antes de se instalarem definitivamente na cidade litorânea de Morretes, a família ficou em Alexandra, no meio do caminho, por 37 dias. Em Morretes hospedaram-se numa pensão até o governo brasileiro indicar a colônia Nova Itália - onde, posteriormente, se estabeleceram no lote 5, onde a família estabilizou-se e construiu a sua primeira própria moradia nas novas terras (agricultura) até comprar um engenho.
Colônia Nova Itália - Central - Morretes - Paraná - Brasil
Um ano após a chegada, Giovanni faleceu vítima de maleita (malária). Margherita, sozinha com os oito filhos mandou buscar dois sobrinhos que moravam na Itália e ela os considerava como filhos. Cinco meses após, sendo atendida por D.Pedro II do governo brasileiro, seus sobrinhos chegaram ao Brasil - Marco e esposa Anda de Bassi e Domênico e esposa Margherita Fellipi e seu filho Lorenzo (Marco e Domênico eram filhos de um irmão de Giovanni. A história da família Malucelli foi cravada com muitos sacrifícios ao longo do século -, filhos, netos e bisnetos e outros mais foram entrelaçando-se e, hoje, a família Malucelli é uma das mais tradicionais do Estado do Paraná, principalmente no litoral paranaense onde os primeiros Malucelli (s) se estabeleceram e na capital, Curitiba, onde uma grande parte dos membros da família residem e se encontram para relembrar e fortificar os laços familiares. Porém, a ramificação estende-se Brasil afora.

Ressaltamos que o sr.André Malucelli é um dos mais altos executivos do Paraná Banco do Grupo J. Malucelli que, atualmente, totaliza 44 empresas diversificadas nas mais diversas áreas da economia nacional, conforme poderá ser observado com maiores detalhes no site de Jmalucelli. O Grupo J. Malucelli tem como fundador Joel Malucelli, bisneto do pioneiro Giovanni Malucelli. Fundou o grupo com a J. Malucelli as empresas, algumas das principais do Brasil em diversos ramos.
Margarida Gobbo
Filha de Lúcia Galvan e Gio Bata Gobbo
_________________________ 



HISTÓRIA DO CLUBE J. MALUCELLI 

Nas décadas de 70 e 80 a família e equipe já formada pelos primeiros integrantes do Grupo J. Malucelli, Joel, primos e amigos, então, reuniam-se para conversar e também jogar futebol, um bom passatempo para todos que trabalhavam arduamente nas empresas do grupo. Era um jeito de manterem-se os laços mais estreitos e assim estava nascendo o Malutrom (o primeiro nome originou-se da junção de uma parte de dois sobrenomes das famílias Malucelli e Trombini -, Malu + Trom, parentes entre si). Com o passar dos anos começaram a participar de jogos oficiais na cidade de Morretes, onde tem até hoje uma sede. Treinavam em Curitiba e região após o trabalho, e jogavam na Liga de Morretes conquistando os primeiros troféus em finais de semana, além das viagens ao exterior. Assim ficaram conhecidos fora do Brasil como a equipe "masters" do Clube Malutrom. 
Numa próxima etapa, com o conhecimento maior e gosto pelo futebol, foi fundada a escolinha de futebol e hoje transformada em projeto social Futebol Cidadão atendendo um bom número de crianças e jovens carentes. Portanto, antes de ser registrado como Malutrom S/A, no ano de 1998, o clube já existia tendo sido oficializado na Federação Paranaense de Futebol no dia 27 de dezembro de 1994. De lá para cá também muitos títulos nas categoria de base, desde o dente de leite até juniores, somados os títulos na categoria profissional e dos masters acumulando muitos troféus expostos numa galeria na sede social do clube em Curitiba. Vale lembrar que sagrou-se Campeão Paranaense no ano de 1998 da segunda divisão, no início de sua vida como 1º. clube-empresa totalmente adaptado à Lei Pelé; no ano 2000 sagrou-se Campeão Brasileiro da Copa João Havelange (equivalente a Série C). Recentemente, sagrou-se Vice-Campeão do futebol de elite paranaense (2009), além de Campeão Estadual de Juniores (final de 2008). 

Nesse meio de tempo, entre inúmeras revelações de jovens talentos dentro das quatro linhas e nos diversos setores do futebol (técnicos, auxiliares-técnicos, fisioterapeutas, etc), foi assinada uma parceria com SC Corinthians Paulista S/A (5 de fevereiro de 2009) transformando o então J.Malucelli Futebol S/A, nome adotado desde 2005, para SC Corinthians Paranaense S/A. O Corinthians Paranaense, através do título de vice-campeão do J.Malucelli Futebol neste ano, conquistou o direito em retornar a um campeonato nacional (Série D do Brasileiro), mandando os seus jogos no Eco-estádio Janguito Malucelli na capital paranaense. O local dos mandos de jogos oficiais do clube é o primeiro estádio ecológico do Brasil, idealizado por Joel Malucelli (além de fundador do Grupo JMalucelli é presidente de honra do clube e artilheiro dos masters). O nome do estádio "Janguito Malucelli" é uma homenagem in memorian ao pai de Joel Malucelli - João Malucelli, o Janguito Malucelli, que vem ser neto de Giovanni e Margherita Malucelli. Em relação aos masters, nova viagem programada para jogos amistosos no exterior a partir de 4 de setembro. 



O ECO ESTÁDIO JANGUITO MALUCELLI  
"O JANGUITÃO" 


Um espaço ecologicamente correto, aliado ao slogan da capital paranaense. Da cidade que valoriza o meio ambiente, nasceu um dos mais importantes espaços de lazer próximo ao Parque Barigui; é um espaço estritamente particular do hoje denominado SC Corinthians Paranaense S/A do Grupo J.Malucelli. A família Malucelli e o Grupo J.Malucelli, este fundado por Joel Malucelli, apresentaram aos cidadãos paranaenses a transformação de parte de seu CT - Centro de Treinamentos, utilizado há vários anos - por onde passaram atletas de alto destaque no cenário nacional e internacional. Portanto, uma parte do CT foi transformado em Eco-Estádio "JANGUITO MALUCELLI"; mais conhecido como Estádio Janguitão. O nome foi uma homenagem in memorian a João Malucelli - que tinha este apelido (Janguitão) marcante - pai do fundador do grupo. 

Joel Malucelli
Joel Malucelli, também presidente de honra do clube, e Juarez Malucelli, presidente do clube-empresa, e sua diretoria, foram felizes ao idealizarem e transformarem um barranco enorme em degraus. Destes degraus uma arquibancada para um número próximo de 4.000 pessoas, sem a utilização de concreto. As escadarias em madeira aproveitada de dormentes, até o placar e o espaço destinado aos bancos (dos jogadores reservas) seguem o padrão ecológico, além de outras ideias que poderão ser transformadas em realidade no tempo certo. Aliás, a arquibancada é totalmente revestida de grama natural e tratada adequadamente, além dos assentos verdes em toda a sua extensão. E toda a madeira aproveitada para os degraus no meio e ao lado das arquibancadas são de madeiras recicláveis. 


De quebra, uma visão maravilhosa para o lago do Parque Barigüi e seu arredores, além dos prédios que se apresentam oponentes ao fundo da paisagem, e a torre da antiga Telepar. O campo de futebol teve sua extensão ampliada e abaixo dele construídos os vestiários, que ficam disfarçados com um paisagismo diferenciado, visto do lado de cima do campo. As janelas do vestiário e outras salas só são percebidas passando-se pela rua (BR). Vale ressaltar que o clube-empresa conta com um bosque e sua sede social no mesmo local, além de vários outros espaços futebolísticos ao redor do campo principal. O acesso é incontestável, não tem como não enxergar já na entrada da cidade - vindo do interior do Estado. Do centro da capital até o Eco-Estádio Janguitão um pulinho, ou melhor, um piscar de olhos.
______________________________________________



Principal colaborador em relação às imagens aqui postadas: Dalton Heros Malucelli Júnior.
A seguir, coletânea realizada por Marcos Pereira, filho de Antonio Pereira e Helena Malucelli Pereira, neto de Marcos Triaquim Malucelli.
Sobrados da Família de Giovanni Malucelli - Central - Morretes

Mulheres da família de Giovanni Malucelli
_______________________________________

FAMÍLIA DE GIOVANNI MALUCELLI REUNIDA NO CENTRAL - MORRETES
01- marido da Célia Buerst
02- Célia Buerst
03- Jurema Malucelli Pelanda
04- Lorena Malucelli Pelanda
05- Elisangela Malucelli Pelanda
06- Zeca Gobbo
07- Sonia Gobbo
08- Geórgia (filha da Andréa Moro, neta do Vilson Moro)
09- Não existe 
10- Luíza Malucelli Romanus
11- Ziomar Malucelli 
12- Rafael Malucelli 
13- Osmar Malucelli
14- Luci Stocco Hunzicker (esposa do Éric)
15- Jean Carlo Robassa Hunzicker
16- Fábio Scarante (filho do Ernesto e Eglê do tio Narciso)
17- Ana Vitória (filha do Fábio)
18- Carla Macedo Scarante (esposa do Fábio)
19-
20- Wlandemiro (Wlande) Malucelli (Achiles; João)
21- Dóris Caron Macedo 
22- Helena Maria França Sundin
23- Joel Malucelli ( Janguito; João)
24- Vó Judite (esposa Joanito; Sebastião ; João)
25- Cinthia Malucelli Amantenecks filha Wlande Malucelli
26- Magdalena (Nena) (João)
27- Rose Malucelli Thá (Janguito; João)
28- Aline França Sundin
29- João – Cibele Moro - marido
30- Cibele Moro (Janguitinho; Teleta)
31- Waldemar Malucelli (Achiles; João)
32- Regina Malucelli Kummer
33- Tia Edite De Bona
34- Sirley Malucelli Lippiman (Humberto ; João)
35- Andréa Moro filho do Wilson Moro
36- Cristina Malucelli Lipimamm 
37- Larissa Malucelli Kummer
38- Tia Nenê, esposa do Tio Wilson Moro
39- Rosaldo Malucelli (Janguito; João)
40- Mariana , Cibele Moro; Janguitinho; Teleta
41- Letícia filha do Wilson Moro; Margarida ( Teleta)
42- 
43-
44- Ivetinha
__________________________________

Publicado no facebook, por Dalton Éros Malucelli Júnior.

Carta escrita em italiano por Marcos Malucelli, filho primogênito de Giovanni e Margherita, à Giovanni (João) que estava na Itália para se tratar. Vou traduzir em outro documento e depois carrego aqui. Interessante notar o papel usado da firma MARCOS MALUCELLI & IRMÃOS. 
Tradutora juramentada: Ângela Malucelli.


















Comemoração dos 136 anos da família Malucelli no Brasil. Os nomes não estão na ordem: Lúcia Ani Malucelli, Guiomar Malucelli, Anadyr Malucelli, Juçara Malucelli, Mirtillo Trombini, Rose Malucelli Thá, Avany Malucelli Andersen, Nena Malucelli Trombini e Sirley Malucelli Lippmann.
Avany Malucelli Andersen
Dalton Heros Malucelli
Família de Domingos Malucelli
Irmãos Malucelli: Baptista, Lourenço, Antônio e Domingos.
Filhos de Giovanni e Margherita Malucelli.
Os Irmãos Malucelli em Morretes - Família Giovanni Malucelli
Da esquerda para a direita: Leonel Malucelli, Domingos Malucelli, Batista Malucelli, Vicente Malucelli,  Olindo Malucelli  e Narciso Malucelli.
Família de Olindo Malucelli - Vitória, Glicério, Sebastião, Wilson, Inês, Celso, Antonio e Adair. 
À esquerda: Nena Malucelli Trombini




Humberto Malucelli
Humberto Malucelli e família

Humberto Malucelli
Por Osmar Malucelli, avós maternos:
Humberto Malucelli e Archangela 
Grossi Malucelli.
Abegail Malucelli da Fonseca. Filha de Victor
( Angelina Moro ) Malucelli. Foto tirada em 1945

























   Por Osmar Malucelli, avós paternos: Sebastião Malucelli 
e Maria Isabel Bridarolli Malucelli, os dois irmãos (Humberto 
e Olimpio) filhos de João e Maria Doff Sotta Malucelli.
Por Osmar Malucelli: Filhos de Olimpio Malucelli, netos de Lourenzo, bisnetos de Giovanni. Neide malucelli Mattos Leão, Haide Malucelli Bettega, José Orlando Malucelli (Jucão), João Batista Malucelli, Altair Malucelli e o pequeno Olimpio Malucelli Filho.

Por Osmar Malucelli: Olimpio Malucelli Filho, Ceres Malucelli da Fonseca, Abegail Malucelli da Fonseca, Azize Malucelli e Olimpio Malucelli, em 1965.
Primeira comunhão de Cleide Malucelli
(filha de meu irmão Altair Malucelli)
e Osmar Malucelli em 1962, em
Ponta Grossa.

 Por Osmar Malucelli: Nesta foto, estão meu pai Olímpio Malucelli, Osmar Malucelli, minha mãe hoje com 89 anos, e meu Irmão Olímpio Malucelli Filho, em frente a nossa casa na cidade de Inácio Martins - Pr., em 1958.
Por Osmar Malucelli: Achei numa caixa 
de fotos da época de meu pai, não tenho 
a menor ideia quem seja, o primeiro da 
esquerda tem traços do Darci Malucelli, 
vamos ver se alguém sabe.


Família Malucelli - Andersen - ramo João e Maria Malucelli










João (Giovanni) Malucelli - filho de Giovanni e Margherita Malucelli - segundo da esquerda para direita - em tratamento em Recoaro - Itália - lá por 1911.

João Malucelli - Maria e família.

Margarida, Marieta, Mafalda, Magdalena, Nona Maria, Donaide - filhas e esposa de João.


 Soltando a Imaginação - por Dalton Heros Malucelli Júnior.
....
Em 1850, Aos 25 anos casa-se com sua primeira mulher, Carona Marchioretto, desta união são gerados dois filhos: uma menina e um menino, que acabaram falecendo.Em seguida sua esposa também vem a falecer.
Em 19/09/1854 cerca de três meses após a morte de sua primeira esposa, Giovanni com 29 anos,casa-se com Margherita Gobbo,19 anos . Margherita, filha de Gio Batta Gobbo e Lucia Galvan, nasceu no dia 28 de novembro de 1834 em San Giorgio de Perlena ,da Província de Vicenza .
....
Do quadro acima podemos fazer um exercício levantando algumas questões.
• Giovanni era 9anos,quatro meses e um dia mais velho que Margherita .Aos vinte e nove anos um homem maduro para os padrões da época.
• O primeiro filho nasceu 4anos,11 meses,21 dias após o casamento.Intervalo grande se considerarmos que os intervalos entre os demais filhos do casal.
• Durante seu primeiro casamento teve dois filhos em aproximadamente 4 anos de união.
• Pergunta-se:o que aconteceu para tamanho intervalo entre casamento e primeiro filho ?
• Teria ela dificuldades para engravidar,engravidado e perdido filhos ,ou passado por período crítico.
• Julgando o numero e intervalo entre partos dos demais filhos,os dois podem ser considerados férteis.
Estas resposta não temos mas vale o exercício.
• Marcos tinha 16 anos um mês e vinte e um dias quando nasceu Domênico, ultimo filho do casal.
• Margherita estava com quarenta anos,onze meses e oito dias e Giovanni com cinquenta anos três meses e nove dias.
• Chama atenção a regularidade entre partos sendo dois anos e um a cinco meses .
• Considerando os intervalos acima teria o casal possibilidade de ter dois filhos no prazo entre o casamento e nascimento de Marcos.
....
E por aí vai.....










Por Angela Malucelli, n° 10 na foto, imagino que foi entre 1967/1968 -Palmeira/Paraná.

Itália Maria - esposa de Sinibaldo Trombini
Rua Marcos Malucelli - Morretes
Osmar Malucelli, na serraria de Chopinzinho
em 1962.
Por Osmar Malucelli: Junta de Boi, 
estalerando toras de Araucária, em 
Inácio Martins, em 1959. Serraria da 
empresa Victor Malucelli & Irmãos, 
que eram sócios, Victor Malucelli, 
Massimo Malucelli, Olimpio 
Malucelli e Lourenço Malucelli Filho.
Por Osmar Malucelli: Meu irmão, José Orlando Malucelli (Jucão), falecido em 1959, aos 29 anos, filho de Olimpio Malucelli, neto de Lourenzo, bisneto de Giovani.

 Estão presentes na foto:Maria Helena Oliveira, Cícero Luiz Malucelli, Rubens Do Nascimento Júnior, Lúcia Ani Malucelli, Paulo Roberto Malucelli, Desiree Malucelli Segurado, Harold Malucelli, Marcelo Malucelli, Eliane Malucelli Keller, Denise Oliveira e Lúcia de Oliveira.

Olímpio Malucelli - década de 1940


Olímpio Malucelli - nascido em 1902
Filho de Lorenzo e neto de Giovanni.
Sobrados da família de Giovanni Malucelli - Central - Morretes - Paraná.
Sobrados da família de Giovanni Malucelli - Central - Morretes - Paraná.
Sobrados da família de Giovanni Malucelli - Central - Morretes - Paraná.
Capela de Santo Antônio - da Família Malucelli - Morretes - Paraná - Brasil
Capela de Santo Antônio - da Família Malucelli - Morretes - Paraná - Brasil
San Giorgio de Perlene - Itália - Seta azul indica a Casa da família Malucelli - 2011.





Por Dalton Heros Malucelli Júnior: Correspondência recebida de solicitação que fiz procurando saber registro de entrada de Giovanni e Margherita Malucelli no Brasil...

Como pode-se constatar deu-se negativa....

A explicação pode estar na forma como eram transportados os imigrantes ...muitos vieram via agentes com contratos governamentais ,como Sabino Tripoti (Colônia Alessandra) e muitas vezes não havia registro de entrada...

As coisas não eram como hoje ..certinhas...e não se contrabandeava cigarros do Paraguai ..a carga preferida eram pessoas...aos montes...fardos e fardos de carne e osso.

































































FOTOS DO JANGUITÃO








____________________________
_____________________
____________

2 comentários:

  1. Gostaria de saber se tem algum grau de parentesco com a família de Moro,com descendência italiana?

    ResponderExcluir
  2. Meu marido se chama Humberto de Moro,descendente de italianos, gostaria de saber se tem algum grau de parentesco?

    ResponderExcluir

Por favor, sua opinião é muito importante para mim, deixe um breve comentário sobre o assunto aqui postado e faça sua avaliação através de críticas construtivas. Aceito sugestões, desde que sejam convenientes e satisfatórias. Obrigado!